Vozes Femininas: Antologia de Escritoras Lusófonas

Estranha-se, especialmente em Portugal, que as senhoras escrevam. Os literatos em geral bolsam a tute indigestas recriminações, querendo trocar-lhes a pena pelo fuso, o livro pela roca, o folhetim pela peúga do mano, e a poesia pelo abanador do fogão; como se de entre milhares de senhoras não pudesse haver algumas dispensáveis ao labor doméstico, as quais muito melhores serviços fizessem à humanidade e à família escrevendo, do que engomando camisas.

Guimarães Fonseca, Diário Ilustrado n.º 775, 26 de Novembro de 1874

A maioria das escritoras lusófonas do séc. XIX e início do séc. XX são hoje completamente desconhecidas. Embora a obra de muitos escritores desse período também não tenha resistido à passagem do tempo, em grande medida devido à falta de mérito literário ou à incapacidade de dialogar com as gerações vindouras, é certo que as mulheres de letras enfrentaram mais dificuldades do que a sua contraparte masculina para fazerem ouvir a sua voz.

A parcialidade da crítica, reconhecida por algumas figuras de renome, como Camilo Castelo Branco («Publica-se tanta parvoiçada do meu sexo licenciada e gabada pela crítica!»), foi um dos factores que, associado a outros de carácter social, contribuíram para a desconsideração da literatura de autoria feminina. Para além disso, o suporte efémero em que essa literatura era disseminada — a imprensa periódica — limitou bastante o seu alcance.

O efeito da discriminação sofrida por estas mulheres reflecte-se ainda hoje na forma como a sua escrita é encarada (ou talvez ignorada seja o termo mais apropriado). Apesar de este cenário ter vindo a melhorar nas últimas décadas, em muitos casos, descobrir e aceder a obras destas escritoras continua a exigir um autêntico trabalho de arqueologia literária. Nesse sentido, Vozes Femininas trata-se de uma modesta tentativa de resgatar textos de qualidade que, de outra forma, dificilmente chegariam até ao leitor contemporâneo.

A antologia reúne os seguintes contos e novelas:

1. «A Trilogia de João Fernandes», de Guiomar Torresão
2. «Marta Sandomil», de Colette (pseud. de Cláudia de Campos)
3. «A Caolha», de Júlia Lopes de Almeida
4. «As Três Idades», de Cândida Fortes
5. «Tourada em Família», de Emília Eduarda
6. «Artigo de Sensação», de Caiel (pseud. de Alice Pestana)
7. «Diário duma Criança», de Ana de Castro Osório
8. «Os Cravos Brancos», de Maria O’Neill
9. «O Conspirador», de Lutgarda Guimarães de Caires
10. «Inocente», de Virgínia de Castro e Almeida
11. «O Regresso do Filho», de Florbela Espanca
12. «Lição Póstuma», de Carmen Dolores (pseud. de Emília Bandeira de Melo)
13. «Um Filho Mais», de Manuela Porto

Título: Vozes Femininas: Antologia de Escritoras Lusófonas
Organização: Ricardo Lourenço
Data de Publicação: 2022
Imagem da Capa: Penning a Letter, por George Goodwin Kilburne
ISBN: 978-989-8698-71-1

EPUB
Icon
Vozes Femininas: Antologia de Escritoras Lusófonas
MOBI
Icon
Vozes Femininas: Antologia de Escritoras Lusófonas [MOBI]

4 thoughts on “Vozes Femininas: Antologia de Escritoras Lusófonas

  1. Pingback: A Viagem dos ArgonautasPROJECTO ADAMASTOR – VOZES FEMININAS: ANTOLOGIA DE ESCRITORAS LUSÓFONAS – por RICARDO LOURENÇO

  2. Pingback: Notas da Semana 16/05/2022 | paula simoes' blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.