Projecto Adamastor

Revista de Estudos Saramaguianos n.º 11

Acaba de ser disponibilizada a 11.ª edição da Revista de Estudos Saramaguianos:

O periódico acolhe parte das intervenções dos participantes no 1.º Colóquio de Estudos Saramaguianos. O evento que integrou a agenda mundial das celebrações por ocasião dos 20 anos do Prêmio Nobel de Literatura a José Saramago aconteceu nos dias 13, 14 e 15 de junho de 2018, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal (Brasil). Proposto pelo Departamento de Comunicação Social da UFRN e pelo Grupo de Estudos sobre o Romance, do Departamento de Linguagens e Ciências Humanas da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), o colóquio foi coordenado pelos professores doutores Maria do Socorro Furtado Veloso (UFRN) e Pedro Fernandes Oliveira Neto (UFERSA) e apoiado pelo Centro de Ciências Humanas, Artes e Letras, da UFRN e da Revista de Estudos Saramaguianos. Dos doze painéis apresentados, publicam-se textos de Conceição Flores (sobre “O evangelho segundo Jesus Cristo”), Denise Noronha Lima (sobre a memória na obra saramaguiana), Jurema José de Oliveira (sobre a oralidade na constituição da narração saramaguiana) e Maria Aparecida da Costa (sobre o amor em “O conto da ilha desconhecida”). A estes textos estão as leituras de José Gonçalves (sobre a cegueira como construtora da consciência coletiva em “Ensaio sobre a cegueira”) e Marco Aurélio Abrão Conte (sobre “In nomine Dei” enquanto uma tragédia moderna). Entre os dois instantes que formam a edição 11 da revista, recuperamos alguns materiais que formam uma faceta pouco conhecida da escrita saramaguiana: a crítica literária. Trata-se de uma resenha escrita por José Saramago sobre “Novas andanças do Demónio”; o texto, inédito em livro, é acrescentado nesta edição para sublinhar outra efeméride importante – esta do ano anterior –, o centenário de Jorge de Sena. Esse material é seguido de fac-similar de outros materiais de arquivo, incluindo uma resenha sobre “O Delfim”, de José Cardoso Pires (2018 foi o ano de duas décadas sobre sua morte e cinquenta anos da publicação desse romance); a partir das relações com Jorge de Sena, apontamos alguns poemas de José Saramago inéditos em livro.