Projecto Adamastor

Arquivo Digital do Livro do Desassossego

A Universidade de Coimbra anunciou recentemente a criação de um arquivo digital hipermédia dedicado ao Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa. O projecto, desenvolvido por investigadores da Biblioteca Nacional de Portugal e do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento em Lisboa (INESC ID, Universidade Técnica de Lisboa), tem conclusão prevista a 28 de Fevereiro de 2015:

‘Nenhum Problema Tem Solução: Um Arquivo Digital do Livro do Desassossego’ tem como objetivo a criação de uma edição/arquivo digital hipermédia dedicado à obra Livro do Desassossego (LdoD), de Bernardo Soares/Fernando Pessoa. O arquivo agregará fac-símiles digitais de todos os materiais documentais do LdoD, transcrições diplomáticas desses materiais, uma tábua de concordâncias para as principais edições portuguesas publicadas entre 1982 e 2010 (Coelho 1982; Cunha 1990; Zenith 1998; Cunha 2008; Pizarro 2010), e ainda ferramentas de pesquisa e análise textual. O arquivo combinará uma edição genética e uma edição social do LdoD, mostrando-o ao mesmo tempo como rede potencial de intenções autorais e como construção conjectural dos seus sucessivos editores. A edição/arquivo digital procurará representar a dinâmica dos atos de escrita e de edição na produção e reprodução do LdoD. Os três principais objetivos da edição/arquivo digital são: (a) representar a dinâmica dos atos de escrita e de edição na produção do LdoD; (b) explorar o potencial do meio digital para recriar a história dessa dinâmica; e (c) criar um espaço de virtualização do LdoD que favoreça novas dinâmicas de leitura, de edição e de investigação no confronto dos leitores com esse corpus material de fragmentos escritos.

 

A segunda componente do projecto, ‘Nenhum Problema Tem Solução: Conceitos e Formas da Escrita e do Livro na Imaginação Modernista’, tem como objectivo analisar histórica e teoricamente formas e conceitos da escrita e do livro nas práticas modernistas. Tomará como ponto de partida as ideias da escrita e do livro no próprio LdoD. A possibilidade e a impossibilidade do livro serão analisadas no discurso e nas práticas modernistas e ao longo do século XX, consideradas num contexto translinguístico e transcultural. Por um lado, analisaremos obras que tomam a materialidade tipográfica do livro como horizonte do ato de escrita; por outro lado, analisaremos obras em que a escrita põe em causa os limites discursivos e conceptuais do livro, centrando-se numa exploração aberta da processualidade do ato de escrita que resulta em dispersão, fragmentaridade e incompletude. Esta teorização tem três objectivos principais: (a) elucidar a relação entre escrita e livro na produção de Fernando Pessoa; (b) enquadrá-la na consciência auto-reflexiva da escrita e dos processos bibliográficos e autobibliográficos na literatura modernista; e (c) desenvolver um modelo de investigação das práticas literárias centrado na materialidade verbal, técnica e social da linguagem e da comunicação.